terça-feira, novembro 03, 2020

O que é racismo estrutural?


Racismo estrutural é o conjunto de práticas que naturalizam privilégios. A frase é curta, mas dentro está contida uma imensidão de comportamentos e idéias, pois o racismo estrutural está no consciente e também no inconsciente das pessoas. Olha só o tamanho dessa encrenca!

Um gari negro é algo completamente aceitável e visto como normal pela sociedade, em contrapartida, um gari loiro e de olhos azuis é muito bonito para estar varrendo ruas, é algo que não está certo. A grosso modo isso é racismo estrutural.

A sociedade naturaliza sistematicamente a violência contra pessoas negras. Estudos, pesquisas e o próprio telejornal de todo dia, evidenciam que mais homens jovens negros morrem vitimados por violência no país. Não há comoção, não causa choque a morte de negros e negras. É normal.

Há ambientes onde não há negros e isso não é visto como violento, é natural.

Pessoas negras ganham menos, moram mal e não estudam na mesma proporção que brancos. Pessoas negras servem de alicerce para a sociedade, são a base da pirâmide, pagam com a vida por assim o serem e quando reivindicam por igualdade são taxadas de vitimistas.

O racismo estrutural está em tudo, é base da própria sociedade que formou e forma o país e pensar sobre pode incomodar e constranger até mesmo aquelas pessoas que não se vêem racistas. O racismo estrutural está e constitui nossas relações.

Uma pessoa que queira lutar contra o racismo tem que necessariamente considerar abrir mão de privilégios, ou seja, lutar contra uma estrutura social que o beneficia.

É possível isso acontecer?

PenseaRespeito




Consciência Humana


E essa história de consciência humana hein?! Rapaz que tristeza.

Basta chegar Novembro, basta lembrar do feriado do dia 20 que aparecem com essa história. Tome texto do ator estadunidense Morgan Freeman. Nossa que preguiça!

Gente bora pensar a respeito. 

Haveria cabimento em se falar de Consciência Humana se fossemos de fato todos iguais em direitos, oportunidades, não houvesse qualquer tipo de discriminação, preterimento em razão da cor da pele. 

A própria condição humana não está ao alcance de todos. O povo marginalizado, colocado a condição sub humana tem em geral que cor de pele?! Só não vê quem não quer.

Negro! Branco que pensa! Não se deixe enganar, qualquer tentativa de harmonia, união, conscientização geral do povo negro é logo contestada. O próprio feriado ano após ano precisa ser explicado! Que outro feriado é tão questionado quanto o feriado do dia 20 de Novembro?!

Por que a questão racial não pode ser debatida?! Há quem isso tanto incomoda?!

Quisera eu vivêssemos todos em um mundo perfeito, onde não houvesse necessidade de dia da Consciência Negra. Esse mundo não existe! Consciência Humana é utopia, é falácia, é enfraquecimento, é desrespeito!

Nosso modo de vida pautado na desigualdade, individualismo e que beneficia a poucos não admite gente questionadora. Um povo unido, sabedor de seus direitos e potencialidades, lutando por representatividade, dignidade e respeito é ameaça. 

Consciência Humana? Não caia nessa conversinha, nada é por acaso.

Abra os olhos!

Pense a Respeito!





quinta-feira, outubro 22, 2020

Muito Importante




E aí beleza?! Vou te fazer um convite reflexivo. Topa?! Chega aí...

Pensa (se quiser) no universo. Nas galáxias, nos planetas.  A minha pequenez, a sua pequenez é gigantesca! Neste contexto opinião, roupa, beleza, a própria existência pouco importam.

Para dimensões cósmicas individualmente somos insignificantes, contudo, avalie (se quiser) o quão fortes podemos ser quando em conjunto, o quão importantes, relevantes podem ser um pensamento, uma atitude que beneficie a muitos. Há sabedoria no entendimento da pequena importância.

Costumo dizer que somos resultado de nossas escolhas e as escolhas fazemos a partir de oportunidades. Ah as oportunidades (pense se quiser)...elas já existem, nós a criamos ou elas estão aí no universo ao alcance de todos sem distinção? Mais ainda, não acabei...tem sucesso aquele que faz boas escolhas com as oportunidades que lhe aparecem? Será?! Que sucesso é esse onde tanta gente morre de fome?! Sucesso em um mundo de miseráveis?! Questiono esse êxito. Qual a importância do sucesso individual neste curto espaço de tempo chamado vida? O que vai ficar disso tudo?


Pra você, o que realmente importa nessa roda gigante?!


PenseaRespeito! Se quiser.



quinta-feira, junho 28, 2018

Copa do Mundo 2018



E a Copa do Mundo?

Momento interessante para reflexão não é? É?! Que tipo de reflexão?!

Bom! Há toda uma importância, um jeito como o brasileiro enxerga futebol e em especial Copa do Mundo. O nacionalismo aparece, o verde e amarelo ganha as ruas, as pessoas valorizam uma unidade. Curioso.

E os jogadores? Viram heróis e ou vilões nacionais com rapidez surpreendente. O tal do Neimar recebe uma carga, uma responsabilidade a meu ver tão maior do que o jogo de bola que chega a ser absurdo. Falam do dinheiro que o cara recebe, da namorada que ele tem, do exemplo que dá ou deixa de dar para as pessoas (aos mais jovens principalmente), que é mal caráter. Com todo o respeito que todos merecemos, penso que seja esperar muito de um jogador de futebol. 
No meu entendimento o Neimar por exemplo é um jovem que tem um talento absurdo pra jogar bola. Que ele também seja exemplo, tenha responsabilidade e até consciência de tudo o que de bom ou ruim aconteça no Brasil e no mundo é entender que o sujeito seja abençoado com todas as virtudes do ser humano. Impossível.

Pensem a respeito. Ao jogador de uma hora pra outra é oferecida uma grana mensal que não dá nem pra gastar de tanto que é! Acreditar que essa mesma pessoa irá procurar boa orientação, irá estudar, refletir sobre política, injustiças sociais, ou seja, irá pensar sobre o mundo em que vive, demanda uma esperança que não temos muitas vezes em nossas próprias famílias. Complicado.

Eu por exemplo como fã de esporte que sou, tenho feito um exercício de não me deixar contaminar muito pela visão política da coisa e colocar nos jogadores, no esporte futebol a culpa por coisas que vão além, muito além. Tenho tentado não ser tão chato. Problematizar tudo cansa todo mundo.


Logicamente o futebol é sim pão e circo, é instrumento do capitalismo, aliena, tira foco...tudo isso é inegável, contudo, dá sim pra curtir futebol e para além disso, aproveitar as possibilidades que o torneio Copa do Mundo oferece com relação ao encontro de tanta gente diferente em um mesmo espaço por exemplo. As possibilidades são inúmeras!

Vamos curtir o momento gente, mas vamos dar ao futebol, a importância que ele deve ter que é nada mais do que entreter.
A Copa é legal demais, mas o evento e os jogadores que lá estão não são e nem tão pouco irão resolver os problemas do mundo. Vamos rir, xingar, nos divertir. Acabou o jogo bora viver a vida!

"Futebol: a mais importante das coisas menos importantes"

PenseaRespeito*






sexta-feira, novembro 17, 2017

O Negro, as Drogas, a Rua



Quando o assunto é drogas, é realmente tentador fazer aquele discurso moralista e conservador. Quem vai na onda da maioria agrada. Quem fala o que se quer ouvir é simpático, recebe aplausos fáceis, porém muitas vezes falsos.
Pra falar de drogas eu posso mencionar o açúcar, o refrigerante, o cigarro, mas não,  vou falar das tais drogas ilícitas. Não vou falar das drogas usadas pelos ricos filhos de papai, vou falar do lixo que chega na favela, nas periferias. O lixo que chega para o pobre matar e morrer.

Venho aqui falar de realidade, venho aqui falar do dia a dia, venho aqui falar de desigualdade.

Você preto, pobre, periférico quando se acaba nas ruas usando drogas, quando rouba a mãe, o vizinho e morre nas mãos da polícia ou do traficante, não está fazendo nada mais nada menos do é esperado de gente como a gente.

Trabalho em um CAPS Álcool e Drogas, um serviço que atende pessoas que enfrentam problemas com uso de substâncias e reparo bem no perfil dos homens e mulheres que procuram a unidade de saúde.
A grande maioria das pessoas que por aqui passam procurando alguma forma de ajuda se parece comigo. São negros, são pobres, são da periferia. Não é coincidência!
Por que sou funcionário e não paciente? Sou especial? Melhor? Que nada, dei sorte, tive talvez em alguns momenos mais oportunidades, pude fazer mais escolhas,  ainda assim, não diferente da maioria dos usuários deste serviço, a sociedade de modo geral espera de mim exatamente a mesma coisa que deles. Nada!

As oportunidades e escolhas que fazemos ditam o rumo de nossas vidas. As chances para nós pobres e humildes são as piores, mas ainda assim precisamos fazer escolhas melhores.

A fórmula mágica para quebrar essa expectativa negativa que todo o sistema tem e deseja de gente como a gente eu não tenho, mas tenho certeza que passam pela resistência e terminam na inovação e criatividade. A maioria é forte, mas só muda e revoluciona quando está unida e ciente  de que fazendo diferente, fazendo o inesperado muda não só a rua, a vila, muda o mundo.

PenseaRespeito

quinta-feira, novembro 16, 2017

Cotas Raciais




Eu reparei que nunca falei diretamente aqui no blog sobre o que penso sobre cotas raciais. Claro nunca falei, mas quem já leu um pouquinho das coisas que já escrevi, logo vai chegar a conclusão que sou a favor. E sou mesmo!

Observo muito as coisas, as pessoas e tenho percebido que quem é contra, não parou muito pra refletir ou fez uma análise rasa, de momento, o que deixa o entendimento da questão bastante empobrecido.

Eu, você que está lendo essa postagem, não somos indivíduos que surgimos e somos a partir de nós mesmos, há uma história, um porquê de sermos quem somos, de termos determinados traços, características físicas, pertencermos a uma classe social específica, estudarmos em determinada escola. As oportunidades que temos resultam diretamente de nossa história.

O processo de escravização foi violento não só fisicamente, ele foi destrutivo em muitos outros aspectos da vida do escravo e por conseguinte na construção da história de seus descendentes. O escravo perde identidade, perde condição de gente!
O povo negro não chega à escola, ao mercado de trabalho em pé de igualdade com a maioria das etnias. Há grande desnível, desigualdade.

As oportunidades para a população negra são restritas e as escolhas possíveis a partir do que é oportunizado, acaba sendo muitas vezes um único caminho, ou seja, a escolha é baseado no que resta, no que sobra.
Um problema histórico não é resolvido em uma ou uma duas gerações, muito menos quando há por parte de significativa parcela da população (brancos e negros) uma negação quanto a existência de algum tipo de problema. Para muitos o que ocorre no presente não possui origem no passado, não enxergam como algo histórico e enraizado em nossa própria cultura. 

A Lei 12.288/2010 de 20 de Julho de 2010 em seu artigos 1° e 2° institui:

Art. 1o  Esta Lei institui o Estatuto da Igualdade Racial, destinado a garantir à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos individuais, coletivos e difusos e o combate à discriminação e às demais formas de intolerância étnica.

Art. 2o  É dever do Estado e da sociedade garantir a igualdade de oportunidades, reconhecendo a todo cidadão brasileiro, independentemente da etnia ou da cor da pele, o direito à participação na comunidade, especialmente nas atividades políticas, econômicas, empresariais, educacionais, culturais e esportivas, defendendo sua dignidade e seus valores religiosos e culturais.

Gente! A lei reflete uma demanda da sociedade. Lógicamente depois de muita luta, houve reconhecimento de que algo muito grave aconteceu no processo de construção do Brasil. Segundo os próprios legisladores de nosso país houve um crime histórico e o erro precisa de alguma forma ser minimizado. Por que a resistência em reconhecer o óbvio?!

Há uma armadilha fácil de se cair que é a de repetir discursos prontos. Cair na esparrela do mérito e dizer que todos somos iguais em direitos, oportunidades e que quem não consegue um lugar ao Sol é por preguiça e vagabundagem é o que mais se ouve. É mais fácil, exige pouco refletir, mas cá entre nós essa é a verdadeira preguiça.

Entendo que não é comum a intenção de apropriar-se de determinados assuntos, quando estes não nos interessam ou não nos afetam diretamente, contudo, falar sobre o que pouco ou nada se entende é no minimo desrespeitoso. 

Saia de sua zona de conforto!

PenseaRespeito!

Fonte: (+)

quinta-feira, abril 06, 2017

Jose Mayer



Atitudes e comportamentos machistas, são cada vez mais repudiados por um número maior de pessoas. Definitivamente o mundo mudou e quem não acordar para o fato, passará no minimo por ridículo.

Muitos de nós homens, somos criados para acreditar que as mulheres de modo geral existem para servir (das mais diversas formas) às vontades masculinas, mas penso que refletindo um pouco sobre o assunto é possível concluir-se que tal raciocínio não tem o menor cabimento. Somos todos pessoas, não há direito de um individuo sobre o outro. É desrespeitoso, violento agir como se fosse natural o homem poder tocar o corpo de uma mulher sem consentimento.

O ator José Mayer está passando por algo que muito provavelmente nunca imaginou em sua vida.
A figurinista Susllen Tonani acusou o ator por assédio sexual. A profissional da Globo escreveu:

"Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo".

Gente! Nunca foi certo tal atitude, nunca foi justificável tal ato, porém, hoje, as mulheres vem a público denunciar tal violência, são acolhidas e ganham força de outras mulheres. Até o machista famoso é combatido.

Várias atrizes, muitas delas colegas do ex galã, manifestaram-se em defesa da figurinista e a frase "Mexeu com uma, mexeu com todas" pipocou nas redes sociais. Mayer finalmente reconheceu que realmente cometeu assédio com a colega, porém, a admissão do erro não foi suficiente para impedir que o ator fosse cortado da novela que está no ar e suspenso por tempo indeterminado para produções futuras. Deu ruim pro Zé Mayer e bem feito!

Embora possamos hoje assistir um desfecho favorável a mulher, infelizmente em nossa sociedade muitas pessoas (homens e mulheres) justificam o assédio masculino culpando a própria mulher assediada. É muito louco!

O mundo mudou, está mudando, mas tem muito ainda o que mudar. 
Eu estou mudando, particularmente acredito que esteja em processo de reconstrução. Nós homens somos machistas em essência, a sociedade de modo geral é machista.

Você meu camarada, consegue reavaliar sua conduta, desconstruir o machista que existe em você?!

PenseaRespeito

Fonte : O Globo

sábado, março 18, 2017

Vivendo



Vivemos para aprender não é mesmo? Acredito que sim, do contrário, qual o sentido disso tudo?

Eu parei pra escrever essa reflexão em função do momento em que vivo. Não sou de ficar aqui falando de assuntos particulares, mas pincelando muito por cima, não dá pra se dizer nada muito diferente do que:

Eta mundo véio!

Cara, nada é preto no branco, de tudo um pouco se tem sempre um outro lado que não foi analisado, que não foi considerado.

Nunca enxergamos todo o contexto, impossível! Onipresença, onipotência não é qualidade humana, portanto, sempre estamos deixando passar alguma coisa.

Verdade absoluta não existe. Há experiências de vida, inúmeros pontos de vista sobre determinado tema, onde o correto depende muito de quem está analisando o assunto.

Eu não to falando nada cientifico, nesta área mais técnica, ainda que caibam dúvidas e debates, há experimentos e provas de determinados argumentos para publicação, eu falo aqui mais especificamente de relacionamentos, de interação humana nos diversos níveis que encontramos durante a vida.

Aprender para evoluir é o desafio, mas cá entre nós, baita tarefa pesada essa nossa.


Ouvindo: 100% Dundee - The Roots (Things Fall Apart)