segunda-feira, novembro 12, 2012

A Cara da Riqueza

para ampliar clique na imagem



Ela é negra, banguela, pedinte, inconveniente... e engraçada? Pera aí, há alguma coisa errada

Já ouvi muito dizer que há exagero no tipo de exercício que proponho com esta postagem, que o humor justifica todo e qualquer estereótipo. Discordo totalmente. Não se pode aceitar que em nome do riso, toda uma classe social e grupo de pessoas de determinada origem e ou raça sejam ofendidos.

O fato é que consumimos o que nos é imposto sem um minimo de reflexão. A televisão é muito forte em nosso país, sendo que mesmo o pobre pedinte dá risada do quadro da Adelaide, sem se dar conta da maneira ridicula que sua realidade é retratada.
Situações como pedir esmola, assumir que sustenta um marido bêbado e mulherengo e teóricamente tirar  vantagem da pobreza não é engraçado e sim vexatório.

Muitos dizem ser o negro o maior preconceituoso, que se diminui. É hilário! Tal afirmação só pode partir de dois grupos de pessoas:

- os brancos (que nunca sofreram preconceito em função da cor de sua pele);
- os que se acham brancos (imensa parcela de pessoas, os iludidos). 

Tanto um como o outro não tem a menor noção do que estão falando.

 Voltando a Adelaide, há quem diga que o humorista em questão e a televisão responsável pelo programa, não imaginavam tamanha repercussão negativa e que não vêem nenhum tipo de preconceito na atração. Alguém realmente acredita nisso?! Tudo é meticulosamente testado antes de ir ao ar.

Se os novos talentos do humor necessitam pautar sua graça no negro, no pobre e na mulher o que há de novo?! Pense a respeito!

4 comentários:

aluiz disse...

Concordo com sua posição. Eu não assisto este programa, não há graça alguma.

Prof. Leandro Santos disse...

De novo há apenas a velha e reiterada discriminação de raça e gênero que, apesar de pequenos avanços, ainda permeia a realidade brasileira. Até assistia este programa às vezes, hoje faço boicote. Não darei audiência a um canal que tenta atrair a atenção dos expectadores ridicularizando determinadas minorias. o Jone propôs irmos além, divulgando nossa opinião aos canais de relacionamento dos anunciantes que fazem comerciais no horário do programa e boicotarmos também o consumos dos produtos deles, afinal é daí que vem a verba e é assim que nós patrocinamos algo que nos prejudica, perpetua preconceitos e aliena a população.

Anônimo disse...

Caminhando para um mundo em que tudo será censurado, a ditadura do politicamente correto. Até quando?! Essa perfeição utópica de uma televisão que agrade a TODOS, vale o bom e velho ditado, quem procura, acha… se você procurar humor, encontrará humor, se procurar preconceito encontrara preconceito, a unilateralidade da tv nunca existiu e nem irá existir.
RIDICULO!

PenseaRespeito* disse...

O que lêem na postagem é a minha opinião. A intenção é de expressão e não de que todos que por aqui passem concordem e abracem a causa. Tolice a minha se pensasse dessa forma.

Tolice maior acreditar que todos que por aqui passem irão comentar educadamente a postagem. Identificar-se?! Pior ainda. Pra que dar uma cara, um rosto ao que é dito de forma solta e anônima?