quinta-feira, junho 28, 2018

Copa do Mundo 2018



E a Copa do Mundo?

Momento interessante para reflexão não é? É?! Que tipo de reflexão?!

Bom! Há toda uma importância, um jeito como o brasileiro enxerga futebol e em especial Copa do Mundo. O nacionalismo aparece, o verde e amarelo ganha as ruas, as pessoas valorizam uma unidade. Curioso.

E os jogadores? Viram heróis e ou vilões nacionais com rapidez surpreendente. O tal do Neimar recebe uma carga, uma responsabilidade a meu ver tão maior do que o jogo de bola que chega a ser absurdo. Falam do dinheiro que o cara recebe, da namorada que ele tem, do exemplo que dá ou deixa de dar para as pessoas (aos mais jovens principalmente), que é mal caráter. Com todo o respeito que todos merecemos, penso que seja esperar muito de um jogador de futebol. 
No meu entendimento o Neimar por exemplo é um jovem que tem um talento absurdo pra jogar bola. Que ele também seja exemplo, tenha responsabilidade e até consciência de tudo o que de bom ou ruim aconteça no Brasil e no mundo é entender que o sujeito seja abençoado com todas as virtudes do ser humano. Impossível.

Pensem a respeito. Ao jogador de uma hora pra outra é oferecida uma grana mensal que não dá nem pra gastar de tanto que é! Acreditar que essa mesma pessoa irá procurar boa orientação, irá estudar, refletir sobre política, injustiças sociais, ou seja, irá pensar sobre o mundo em que vive, demanda uma esperança que não temos muitas vezes em nossas próprias famílias. Complicado.

Eu por exemplo como fã de esporte que sou, tenho feito um exercício de não me deixar contaminar muito pela visão política da coisa e colocar nos jogadores, no esporte futebol a culpa por coisas que vão além, muito além. Tenho tentado não ser tão chato. Problematizar tudo cansa todo mundo.


Logicamente o futebol é sim pão e circo, é instrumento do capitalismo, aliena, tira foco...tudo isso é inegável, contudo, dá sim pra curtir futebol e para além disso, aproveitar as possibilidades que o torneio Copa do Mundo oferece com relação ao encontro de tanta gente diferente em um mesmo espaço por exemplo. As possibilidades são inúmeras!

Vamos curtir o momento gente, mas vamos dar ao futebol, a importância que ele deve ter que é nada mais do que entreter.
A Copa é legal demais, mas o evento e os jogadores que lá estão não são e nem tão pouco irão resolver os problemas do mundo. Vamos rir, xingar, nos divertir. Acabou o jogo bora viver a vida!

"Futebol: a mais importante das coisas menos importantes"

PenseaRespeito*






sexta-feira, novembro 17, 2017

O Negro, as Drogas, a Rua



Quando o assunto é drogas, é realmente tentador fazer aquele discurso moralista e conservador. Quem vai na onda da maioria agrada. Quem fala o que se quer ouvir é simpático, recebe aplausos fáceis, porém muitas vezes falsos.

Pra falar de drogas eu posso mencionar o açúcar, o refrigerante, o cigarro, mas não,  vou falar das tais drogas ilícitas. Não vou falar das drogas usadas pelos ricos filhos de papai, vou falar do lixo que chega na favela, nas periferias. O lixo que chega para o pobre matar e morrer.

Venho aqui falar de realidade, venho aqui falar do dia a dia, venho aqui falar de desigualdade.

Você preto, pobre, periférico quando se acaba nas ruas usando drogas, quando rouba a mãe, o vizinho e morre nas mãos da polícia ou do traficante, não está fazendo nada mais nada menos do é esperado de gente como a gente.

Trabalho em um CAPS Álcool e Drogas, um serviço que atende pessoas que enfrentam problemas com uso de substâncias e reparo bem no perfil dos homens e mulheres que procuram a unidade de saúde.
A grande maioria das pessoas que por aqui passam procurando alguma forma de ajuda se parece comigo. São negros, são pobres, são da periferia. Não é coincidência!

Por que sou funcionário e não paciente? Sou especial? Melhor? Que nada, dei sorte, tive talvez em alguns momenos mais oportunidades, pude fazer mais escolhas,  ainda assim, não diferente da maioria dos usuários deste serviço, a sociedade de modo geral espera de mim exatamente a mesma coisa que deles. Nada!

As oportunidades e escolhas que fazemos ditam o rumo de nossas vidas. As chances para nós pobres e humildes são as piores, mas ainda assim precisamos fazer escolhas melhores.

A fórmula mágica para quebrar essa expectativa negativa que todo o sistema tem e deseja de gente como a gente eu não tenho, mas tenho certeza que passam pela resistência e terminam na inovação e criatividade. A maioria é forte, mas só muda e revoluciona quando está unida e ciente  de que fazendo diferente, fazendo o inesperado muda não só a rua, a vila, muda o mundo.

PenseaRespeito

quinta-feira, novembro 16, 2017

Cotas Raciais




Eu reparei que nunca falei diretamente aqui no blog sobre o que penso sobre cotas raciais. Claro nunca falei, mas quem já leu um pouquinho das coisas que já escrevi, logo vai chegar a conclusão que sou a favor. E sou mesmo!

Observo muito as coisas, as pessoas e tenho percebido que quem é contra, não parou muito pra refletir ou fez uma análise rasa, de momento, o que deixa o entendimento da questão bastante empobrecido.

Eu, você que está lendo essa postagem, não somos indivíduos que surgimos e somos a partir de nós mesmos, há uma história, um porquê de sermos quem somos, de termos determinados traços, características físicas, pertencermos a uma classe social específica, estudarmos em determinada escola. As oportunidades que temos resultam diretamente de nossa história.

O processo de escravização foi violento não só fisicamente, ele foi destrutivo em muitos outros aspectos da vida do escravo e por conseguinte na construção da história de seus descendentes. O escravo perde identidade, perde condição de gente!
O povo negro não chega à escola, ao mercado de trabalho em pé de igualdade com a maioria das etnias. Há grande desnível, desigualdade.

As oportunidades para a população negra são restritas e as escolhas possíveis a partir do que é oportunizado, acaba sendo muitas vezes um único caminho, ou seja, a escolha é baseado no que resta, no que sobra.
Um problema histórico não é resolvido em uma ou uma duas gerações, muito menos quando há por parte de significativa parcela da população (brancos e negros) uma negação quanto a existência de algum tipo de problema. Para muitos o que ocorre no presente não possui origem no passado, não enxergam como algo histórico e enraizado em nossa própria cultura. 

A Lei 12.288/2010 de 20 de Julho de 2010 em seu artigos 1° e 2° institui:

Art. 1o  Esta Lei institui o Estatuto da Igualdade Racial, destinado a garantir à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos individuais, coletivos e difusos e o combate à discriminação e às demais formas de intolerância étnica.

Art. 2o  É dever do Estado e da sociedade garantir a igualdade de oportunidades, reconhecendo a todo cidadão brasileiro, independentemente da etnia ou da cor da pele, o direito à participação na comunidade, especialmente nas atividades políticas, econômicas, empresariais, educacionais, culturais e esportivas, defendendo sua dignidade e seus valores religiosos e culturais.

Gente! A lei reflete uma demanda da sociedade. Lógicamente depois de muita luta, houve reconhecimento de que algo muito grave aconteceu no processo de construção do Brasil. Segundo os próprios legisladores de nosso país houve um crime histórico e o erro precisa de alguma forma ser minimizado. Por que a resistência em reconhecer o óbvio?!

Há uma armadilha fácil de se cair que é a de repetir discursos prontos. Cair na esparrela do mérito e dizer que todos somos iguais em direitos, oportunidades e que quem não consegue um lugar ao Sol é por preguiça e vagabundagem é o que mais se ouve. É mais fácil, exige pouco refletir, mas cá entre nós essa é a verdadeira preguiça.

Entendo que não é comum a intenção de apropriar-se de determinados assuntos, quando estes não nos interessam ou não nos afetam diretamente, contudo, falar sobre o que pouco ou nada se entende é no minimo desrespeitoso. 

Saia de sua zona de conforto!

PenseaRespeito!

Fonte: (+)

quinta-feira, abril 06, 2017

Jose Mayer



Atitudes e comportamentos machistas, são cada vez mais repudiados por um número maior de pessoas. Definitivamente o mundo mudou e quem não acordar para o fato, passará no minimo por ridículo.

Muitos de nós homens, somos criados para acreditar que as mulheres de modo geral existem para servir (das mais diversas formas) às vontades masculinas, mas penso que refletindo um pouco sobre o assunto é possível concluir-se que tal raciocínio não tem o menor cabimento. Somos todos pessoas, não há direito de um individuo sobre o outro. É desrespeitoso, violento agir como se fosse natural o homem poder tocar o corpo de uma mulher sem consentimento.

O ator José Mayer está passando por algo que muito provavelmente nunca imaginou em sua vida.
A figurinista Susllen Tonani acusou o ator por assédio sexual. A profissional da Globo escreveu:

"Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo".

Gente! Nunca foi certo tal atitude, nunca foi justificável tal ato, porém, hoje, as mulheres vem a público denunciar tal violência, são acolhidas e ganham força de outras mulheres. Até o machista famoso é combatido.

Várias atrizes, muitas delas colegas do ex galã, manifestaram-se em defesa da figurinista e a frase "Mexeu com uma, mexeu com todas" pipocou nas redes sociais. Mayer finalmente reconheceu que realmente cometeu assédio com a colega, porém, a admissão do erro não foi suficiente para impedir que o ator fosse cortado da novela que está no ar e suspenso por tempo indeterminado para produções futuras. Deu ruim pro Zé Mayer e bem feito!

Embora possamos hoje assistir um desfecho favorável a mulher, infelizmente em nossa sociedade muitas pessoas (homens e mulheres) justificam o assédio masculino culpando a própria mulher assediada. É muito louco!

O mundo mudou, está mudando, mas tem muito ainda o que mudar. 
Eu estou mudando, particularmente acredito que esteja em processo de reconstrução. Nós homens somos machistas em essência, a sociedade de modo geral é machista.

Você meu camarada, consegue reavaliar sua conduta, desconstruir o machista que existe em você?!

PenseaRespeito

Fonte : O Globo

sábado, março 18, 2017

Vivendo



Vivemos para aprender não é mesmo? Acredito que sim, do contrário, qual o sentido disso tudo?

Eu parei pra escrever essa reflexão em função do momento em que vivo. Não sou de ficar aqui falando de assuntos particulares, mas pincelando muito por cima, não dá pra se dizer nada muito diferente do que:

Eta mundo véio!

Cara, nada é preto no branco, de tudo um pouco se tem sempre um outro lado que não foi analisado, que não foi considerado.

Nunca enxergamos todo o contexto, impossível! Onipresença, onipotência não é qualidade humana, portanto, sempre estamos deixando passar alguma coisa.

Verdade absoluta não existe. Há experiências de vida, inúmeros pontos de vista sobre determinado tema, onde o correto depende muito de quem está analisando o assunto.

Eu não to falando nada cientifico, nesta área mais técnica, ainda que caibam dúvidas e debates, há experimentos e provas de determinados argumentos para publicação, eu falo aqui mais especificamente de relacionamentos, de interação humana nos diversos níveis que encontramos durante a vida.

Aprender para evoluir é o desafio, mas cá entre nós, baita tarefa pesada essa nossa.


Ouvindo: 100% Dundee - The Roots (Things Fall Apart)

segunda-feira, novembro 14, 2016

segunda-feira, abril 11, 2016

Meritocracia



Vou tirar um pouco a ferrugem e escrever aqui no PenseaRespeito.

Muitas, várias coisas me incomodam no nosso exato justo tempo indignado presente, mas essa tal meritocracia eu vou te falar viu, haja paciência.
Antes de malhar vamos definir a tal meritocracia.

meritocracia

substantivo feminino

1.predomínio numa sociedade, organização, grupo, ocupação etc. daqueles que têm mais méritos (os mais trabalhadores, mais dedicados, mais bem dotados intelectualmente etc.).
2.p.met. classe ou grupo de líderes num sistema desse tipo.

Segundo a definição aí do dicionário, teria predomínio em uma sociedade o individuo mais trabalhador, mais dedicado, mais bem dotado intelectualmente, ou seja, para se alcançar o sucesso, bastaria ser trabalhador e intelectualmente superior. Partindo desse principio uma vida repleta de grandes realizações, depende única e exclusivamente do esforço e capacidade individuais e aqueles que fazem por merecer alcançarão indubitavelmente os louros da glória.

Utopia! Em um mundo perfeito talvez tal afirmação pudesse ser válida, pois nasceríamos todos (todos mesmo) sem exceção, com igualdade de condições, oportunidades e isso sejamos realistas não acontece de jeito nenhum.

Há alguém em sã consciência que acredite de fato que todos os meninos inteligentes das favelas tem iguais oportunidades e chances quando comparados a meninos inteligentes nascidos em berço de ouro?! Tem?!

Meritocracia em nossa sociedade é um discurso extremamente poderoso. 
Eu digo que um pensamento é forte quando mesmo quem não tem razão nenhuma para tal, acredita na idéia. O patrão, o dono, o mega empresário quando usa do conceito da meritocracia para dizer a seu empregado que trabalhe, que trabalhe duro para conseguir ser rico como ele, é totalmente compreensível, afinal de contas ele com um subordinado dedicado obterá mais lucros, agora o empregado que acredita na falácia e pior, difunde e defende é no mínimo contraditório.

Eu quero dizer aqui que quem estuda, batalha, corre atrás tá errado porque nada disso adianta pra nada? Claro que não, o que eu digo e repito exaustivamente é que verdadeira riqueza é conhecimento adquirido e repassado. Nada vale mais do que isso. Eu quero dizer que gente que estuda de verdade, corre atrás e batalha dificilmente cai em conversa fiada. Gente que estuda e batalha enxerga o mundo com os olhos do desafio, do descobrir e fazer melhor para todos sem distinção.

Pra fechar duas perguntas:

É verdadeiramente feliz quem é endinheirado?
O que seria essa tão falada e almejada felicidade?

PenseaRespeito


sábado, janeiro 09, 2016

We Like It Here - Snarky Puppy



Snarky Puppy é uma banda de jazz fusion, liderada pelo baixista e produtor musical Michael League. O Puppy chega a contar em suas apresentações com cerca de 20 músicos de extrema qualidade. Vejam no clipe aqui abaixo que só tem fera tocando. Não conhecia, to curtindo bastante. Toma!

We Like It Here - Snarky Puppy (2014)

1. Shofukan_
2 .What About Me
3. Sleeper
4. Jambone
5. Kite
6. Outlier
7. Tio Macaco
8. Lingus

Para baixar clique: PenseaRespeito

P.S.: O Snarky Puppy veio ao Brasil agora no final de 2015 e eu perdi! Como diria meu amigo Charle Brown: "Que poxa"!

Snarky Puppy - What About Me? (We Like It Here)

terça-feira, outubro 06, 2015

Idéias e Tendências



Fala aí gente, há algum sobrevivente por aí? Algum leitor remanescente deste blog? Não? Tudo bem, to aqui bora lá.

Sinceramente? Eu não advogo para partido algum, eu torço para o Brasil e sendo assim, consigo acredito eu, perceber algumas coisas bem curiosas neste momento atual da política nacional.

É incrível como há uma revolta escancarada com o PT e a presidenta, e não há nem de longe uma reação semelhante ao governo do PSDB aqui de São Paulo por exemplo. Por que?

Quando faço essa pergunta não estou dizendo que é errado e não se deve criticar o governo federal, muito pelo contrário, essa liberdade que se tem para discordar e expressar-se é fundamental para algo novo, eu só não entendo porque não se reage da mesma forma quando o partido é outro e os problemas observados praticamente os mesmos.

O PT quando chegou a presidência e desta forma atingiu o tão almejado auge político, levou consigo a esperança de muita gente que acreditava ter de fato um representante legitimo de seus anseios. Muitos diziam:
"Agora sim!"
"Agora vai!"
"Tudo irá mudar, temos gente como a gente lá!"

Bem, não é isso que observamos.

Houveram mudanças positivas? Sim houveram, há de se reconhecer por exemplo, que hoje há pessoas que não passam mais fome em nosso país. Isso é muito bom, contudo, é notório que se esperava muito mais do Partido dos Trabalhadores. Esperava-se mais e em muitas coisas (muitas mesmo), o PT mostrou-se tão ruim quanto os demais. Decepção é a palavra.

A decepção é a palavra com o PT, mas não dá pra apontar um partido como tábua de salvação. O PSDB que hoje é oposição, que cobra da população uma atitude e que responsabiliza o PT por tudo o que de ruim aconteceu desde 1500, era situação até pouco tempo atrás. Não havia no governo do PSDB problemas semelhantes aos que hoje assistimos? Inflação, corrupção, desemprego, fome, de tudo acontecia só que não tão veementemente noticiado, só isso. Impressionante como brincam com a memória recente do povo e mais surpreendente como tem gente que "abraça" e repete o discurso.

Grande parte das pessoas que repetem discurso, o fazem por ouvir falar principalmente na TV, no Rádio, na internet, ou seja, na mídia. Senhoras e senhores isso é terrível. A força que tem a mídia tanto na criação, quanto na destruição de idéias e pessoas é espantosa. A defesa de interesses quando na abordagem deste ou daquele tema chega a ser vergonhosa.

Há quem de fato acredite que a verdade, a realidade seja noticiada de forma íntegra, sem intenção alguma de proteção a este ou aquele grupo político e econômico? Tem?! Ingenuidade.

Filtro, reflexão, consulta a diferentes fontes são estratégias necessárias para conseguir-se enxergar toda a cena. Qualquer conclusão rápida é na verdade injusta e preguiçosa.

PenseaRespeito!

sábado, setembro 05, 2015

Voltei!!!




Minha nossa há quanto tempo não escrevo. Deu vontade!

Fazer aqui um exercício, um revival de uma coisa que tanto gosto que é este blog, essa válvula de escape. 

Tanta coisa acontecendo, tanta coisa pra falar, o tempo passando, Alexandre anos 40. Caraca!
É filho que amo tanto que até dói, é conta pra pagar..quanta responsabilidade. Escolhas, oportunidades..tudo ao mesmo tempo agora. Quantos jeitos de dar mancada e magoar quem não merece. Isso é a vida!

Brasil indignado, ninguém tá satisfeito! Reclama quem é esquerda, reclama quem é direita, reclama todo mundo! Água, luz, ciclovia! Crise! É revolução, impeachment, abaixo a podridão da corrupção nacional,. Volta do militarismo!?.Alguma idéias legais outras carentes de maior reflexão, mas enfim há movimento. Isso é história à olhos vistos!

Não escrevo aqui há muito, mas continuo firme, PensandoaRespeito sobre tudo. Assistindo, apanhando, aprendendo, vivendo.

Bora correr gente!!!




quinta-feira, janeiro 22, 2015

Terrorismo na França



No último dia 7 de Janeiro, aconteceu na França um atentado terrorista à revista francesa Charlie Hebdo. Segundo o noticiário três homens fortemente armados e mascarados adentraram o prédio onde fica a revista de sátiras e gritando "Alá é grande" mataram 12 pessoas e feriram mais outras 11.

A notícia da selvageria correu o mundo e milhões de pessoas chocadas com tamanha violência, demonstraram principalmente através das redes sociais, seu total repúdio ao ato terrorista e apoio aos jornalistas e cartunistas mortos e feridos.

Assim como a famosa "Somos todos macacos" a frase "Je suis Charlie" (Somos todos Charlie) tornou-se o lema de grande parte dos defensores da liberdade de expressão e é justamente a partir deste ponto que começa a haver controvérsia.

A França é um país que tem em sua população, um número grande de praticantes do islamismo. Oriundos principalmente da chamada África branca essas pessoas professam legitimamente sua religião em território francês e merecem respeito em sua crença tal qual o budista, o católico, o evangélico...
Charlie Hebdo é uma revista famosa mundialmente, por satirizar acidamente através de desenhos o islamismo e também outras religiões. São provocativos em suas publicações.

Todos sabemos que entre os praticantes de toda e qualquer religião há sempre uma parcela de radicais, grupos de pessoas que muitas vezes usam sim de extrema violência na defesa de sua ideologia. Com o islamismo não é diferente, não é rara a notícia de que um homem bomba foi responsável pela morte de dezenas de pessoas, que cortaram a cabeça de um estrangeiro reivindicando algo da comunidade internacional. Agora me diz aí você que tá lendo, tem cabimento mexer com essas pessoas?

Não sou contra a liberdade de expressão, muito ao contrário, escrevo em um blog, mas ao mesmo tempo sou a favor do bom senso, do respeito. A partir do momento que se provoca, assume-se o risco. Tá certo entrar em um lugar, atirar, matar e ferir? Claro que não! Mas se o mundo sabe que há pessoas que pensam ser tal prática correta, porque e para que provocá-las?!

Definitivamente a humanidade está longe de chegar a perfeição. Há maneiras e maneiras de se enxergar o mundo, culturas diversas, as pessoas são em grande parte intolerantes e querem impor o seu juízo de valores. Não achamos a mesma graça em tudo e todos.

Somos todos sabedores disso?


PenseaRespeito


Lira Mercer (Lira Galore)





Ouvindo: Carrossel - Banda Black Rio (Movimento)

quarta-feira, janeiro 07, 2015

PenseaRespeito 8 Anos!!!



E o PenseaRespeito completa mais um ano de vida. O blog resiste, eu estou aqui!!!

Desde seu nascimento em 2007, este ano de 2014  foi sem dúvida o período em que menos escrevi aqui no PenseaRespeito, desta forma, o saldão de reflexões fica bem mais empobrecido.
Claro quantidade não significa qualidade, ainda assim, reconheço que estou em débito com o blog.
Vejo que muitos dos blogs que começaram junto ou até mesmo antes do PenseaRespeito não existem mais. Ferramentas como o tweeter e o facebook ganharam força nos últimos anos pela sua praticidade principalmente na economia de palavras, contudo, acho que através do blog a idéia, a mensagem compartilhada fica melhor escrita e completa. A porta que o blog abre é imensa!
Independente do crescimento de outras formas de se chegar nas pessoas, a verdade é que ando meio afastado da escrita por falta de tempo. As coisas vão acontecendo e fica dificil dar a devida atenção a tudo o que gostamos. Sim essa é a verdade, mas não desisto.

Gente sou teimoso, "tamu" junto! Parabéns pra nós guerreiros!


Alexandre

sábado, outubro 25, 2014

Um Brasil Para Todos



Antes de tudo já vou abrindo meu voto, amanhã estarei digitando 13 na maquininha. Meu voto é para o PT, é para Dilma Rousseff.
Meu voto é 13 não porque o PT seja o melhor partido do mundo (votei Luciana Genro no primeiro turno), ao contrário, o PT decepciona muito se formos relembrar a origem do partido e compararmos com o que se tornou. O anseio por vencer eleições e a estratégia utilizada de acordos e coligações bizarras, porém, vantajosas.

Voto 13, porque ainda que o partido tenha mudado para pior, é inegável que para a população mais carente (a maioria dos brasileiros), algo de bom aconteceu.
Muita gente deixou de passar fome. Isso não é relevante?!

Vou ser mais particular nessa postagem, vou falar de mim e acredito que falando assim, falo também de um monte de gente.
Faço parte de uma geração que nos últimos anos, conseguiu acesso. Gente parecida comigo tem hoje a oportunidade real de: cursar ensino superior, comprar seu primeiro carro, viajar de avião, financiar sua casa própria, coisas que nossos pais não tiveram. Isso é não é avanço?!

Tô felizmente beirando meus 40 anos e lembro muitissimo bem da administração tucana. Não somos ricos, longe disso, somos gente humilde como a maioria que vai ler isso aqui e sei muito bem que para minha família a vida era bem mais difiicil com a administração neoliberal. Isso é fato!

Reconheço fatos, encaro a realidade e por isso não vejo erros, não faço criticas?! Claro que não! As criticas a serem feitas são inúmeras. Quem é que gosta de ver a todo momento político sendo acusado, sendo preso por corrupção? Quem é que gosta de ver Lula fazendo aliança com Maluf. Isso é bem esquisito.
E a corrupção?
A corrupção permeia toda a política brasileira (isso também é inegável), independendo o partido que apontemos. Impossivel e ingênuo afirmar que um partido seja mais corrupto do que outro, há quem deixe a sujeira aparecer mais do que o outro apenas. O sistema permite, a trama acontece.

Sou a favor de uma reforma da política nacional, uma tentativa de mudança real começaria por uma reforma e não por trocar um partido de esquerda que bem ou mal beneficia a maioria, por outro que defende uma minoria individualista. Isso não é mudança, isso é retrocesso!

Um voto para o PSDB, só pode ser compreensivel se partir do grande empresário que vê de forma negativa esse acesso todo. Aquele que critica tanto carro na rua não pelo trânsito, mas pelos pobres poderem comprar o carro e que entre muitas outras coisas, acha o fim da picada o filho estar estudando lado a lado com o "macaquinho".

As pessoas que sairam as ruas ano passado, nas primeiras manifestações (as originais), quando pediam mudança, queriam a saída do PT para o retorno do PSDB?! 

PenseaRespeito

Robert Glasper Experiment & Metropole Orkest - NSJ 2014

I Stand Alone - Robert Glasper Experiment featuring Common & Patrick Stump

terça-feira, agosto 26, 2014

A Fragilidade da Existência




No dia 13 de Agosto de 2014 caiu um avião na cidade de Santos. Todos os ocupantes da aeronave, tripulação e passageiros, faleceram. Entre os passageiros do avião estava o candidato a presidência da República e ex governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos.
Sim, havia um presidenciável entre os passageiros do horrivel acidente, e é justamente nesse ponto que quero propor uma reflexão.

Não é porque Eduardo Campos estava no avião que o acidente foi terrivel, foi terrivel, porque haviam pessoas ali viajando que perderam suas vidas de maneira violenta. Todos em sã consciência que acompanharam o noticiário ainda que minimamente, sentiram a dor das famílias envolvidas. Foi uma tragédia!

Há muitas tragédias acontecendo. Muitas famílias são destruídas a todo momento e tragédias acontecem infelizmente todo dia, contudo, a morte violenta, abrupta e impactante de um político em ascensão como era Eduardo Campos, funciona como um verdadeiro soco na cara de toda uma sociedade. Fica escancarada a fragilidade da existência.

O que difere Eduardo Campos dos demais colegas que perderam a vida no triste acidente? Nada, absolutamente nada. Cada um ali sendo pai, filho, irmão...representava muito para sua família. Toda perda é significativa, todos temos uma história, sendo ela pública ou não.

Independente de quem, somos todos muito frágeis e vivemos nos preocupando muito com bobagens, acreditando que nada, nem mesmo a morte irá nos alcançar. Vivemos bobamente como seres imortais. Por quê? 

Pense a Respeito!

quarta-feira, julho 23, 2014

Brasil Copa do Mundo 2014




E a Copa do Mundo hein?
Protestos, tem ou não tem Copa, público, Dilma, Blatter, Neymar...

Protestos?! Sim legitimos a qualquer tempo, mas muito mais eficazes lá atrás quando o Brasil demonstrou interesse em fazer um evento dessa magnitude. Manifestos contra a realização da Copa há uma semana, um dia ou durante os jogos, serviriam muito mais para demonstrar a insatisfação do povo com algo que discordam. Imaginar que um levante popular hoje impeça a realização de algo já consumado é inocência.

Muito se falou sobre os estádios que não ficariam prontos, dos aeroportos precários, da falta de habilidade do brasileiro em organizar e receber pessoas para um evento grande, da violência, doenças tropicais. Conversa! Eu não tinha dúvidas de que haveria Copa. As coisas aqui acontecem quando beneficiam a poucos e assim novamente o foi. 

É legal Copa do Mundo? Sim, claro, esporte é legal. Precisávamos de uma Copa do Mundo em 2014?! Aí já é outra coisa, precisávamos quem? 

A Copa do Mundo não é para todo mundo. Os ingressos caros selecionam por cima os expectadores. Quem viu os jogos pela TV, reparou na cara do torcedor brasileiro que assistia as partidas "in loco"? Dizer que não eram brasileiros é leviano, mas é possivel dizer que era um público bastante diferente daquele que se vê torcendo pelos clubes nos campeonatos regionais, no Brasileirão. Eram cidadãos brasileiros com dinheiro no bolso, ou seja, parcela pequena da população desse país.

A seleção brasileira perdeu! Ficou em quarto lugar no Mundial disputado em seu país. Vexame? É...veja bem.
Eu sou um apaixonado por esporte, assisto tudo quanto é modalidade e sinceramente cá entre nós o Brasil não apresentou em partida alguma dessa Copa do Mundo, um futebol que empolgasse ou convencesse. O selecionado brasileiro era manco, dependente de um garoto craque de 22 anos. O que isso quer dizer? Nada, absolutamente nada, porque futebol é o único esporte em que vitória e merecimento são palavras que não andam necessariamente juntas. Alemanha venceu a Copa do Mundo no Brasil e por acaso mereceu, por acaso, não necessariamente. Futebol é um esporte estranho e por isso apaixonante.


De verdade? Ganhando ou perdendo a seleção brasileira, o que me deixa mais perplexo é como as pessoas se importam com isso.

domingo, julho 13, 2014

...And Then You Shoot Your Cousin - The Roots



Trabalho novo do The Roots.Assim como o anterior Undun, a dupla Questlove e Black Thought repetem a fórmula conceitual de se fazer um disco. Tô curtindo.

...And Then You Shoot Your Cousin - The Roots (2014)

1. Theme From Middle of the Night
2. Never (feat. Patty Crash)
3. When the People Cheer (feat. Modesty Lycan & Greg Porn)
4. The Devil
5. Black Rock (feat. Dice Raw)
6. Understand (feat. Dice Raw & Greg Porn)
7. Dies Irae
8. The Coming (feat. Mercedes Martinez)
9. The Dark (Trinity) [feat. Dice Raw & Greg Porn]
10. The Unraveling (feat. Raheem DeVaughn)
11. Tomorrow (feat. Raheem DeVaughn)

Download nos comentários

domingo, maio 25, 2014

Maturidade




Venho aqui falar de amadurecimento. Amadurecimento pessoal, amadurecimento geral.
Quando digo amadurecimento refiro-me à todas as nuances do envelhecimento, porém, principalmente a percepção de tudo o que nos cerca, a experiência.

O Brasil é um país que pouco a pouco deixa de ser um território com uma população jovem para ser em breve uma nação de gente madura e experiente. Em 20, 30 anos, com o aumento da longevidade teremos uma população composta em sua maioria por pessoas mais velhas, é a chamada inversão da pirâmide etária.

O envelhecimento natural da população, traz consigo uma maturidade dessas pessoas. Assuntos  antes ignorados, deixados de lado, passam a ser contestados, observados de uma nova forma. Nem tudo hoje é oba oba, a mídia, os meios de comunicação, o jeito de se fazer política de discurso sem fundamento, já não funciona tão bem quanto antes. Começa a existir em nossa sociedade uma real preocupação dos indivíduos com a cidade onde moram, o estado, o país.

Claro, há muito o que acontecer de fato, ingenuidade acreditar que absolutamente tudo mudou, que a cura chegou hoje através da experiência. Não acredito, contudo, vejo como óbvia uma mudança que começa a ocorrer a partir de agora. Há discussões e reflexões hoje acontecendo que com toda a certeza incomodam muita gente que acreditava controlar os rumos do dito alienado pensamento comum brasileiro.

Interessante observar que a velha máxima de que o país revolucionará a partir da juventude é sim real. Haverá um país diferente e melhor a partir dos jovens velhos do amanhã.

O Brasil tem jeito, há sim luz no final do túnel e a mudança inicia-se e resultará em um país melhor por culpa e mérito de nossa própria população. Quem muda o Brasil são os brasileiros!

PenseaRespeito





Erika Janusa







Ouvindo: Orion - Metallica ( Master Of Puppets)

sábado, março 29, 2014

Roupa Curta? Tá pedindo!




Essa semana o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), divulgou os números de uma curiosa pesquisa. 
Com a frase "Se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros", 58, 5% dos entrevistados concordam totalmente ou parcialmente, 35,3% concordam totalmente, 23,2% parcialmente, 30,3% discordam totalmente, 76% discordam parcialmente e 2,6% se declaram neutros.
Para a frase "Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas": 42,7% concordam totalmente com a afirmação, 22,4% parcialmente, e 24% discordam totalmente e 8,4% parcialmente.

As respostas da maioria dos entrevistados, denotam o quão machista ainda é a sociedade em que vivemos.

A reflexão aqui evidencia que a maioria das pessoas entende como natural  o homem não ter autocontrole de seus desejos e vontades, cabendo a mulher vigiar seu comportamento frente ao predador. Seria então de entendimento geral, que a culpada pela violência masculina seria a mulher, pois o homem apenas cumpre seu papel de macho.

Ridículo? A pesquisa mostra que não, as pessoas de forma geral (homens e mulheres) pensam dessa forma. Triste.

Eu particularmente gostaria de acreditar que as pessoas respondem a esse tipo de pergunta seguindo uma maioria, um senso comum...para não destoarem da massa, acabam repetindo o que foi dito para não serem diferentes. Será? Antes fosse.

Quem nunca viu uma mulher em um determinado lugar e concluiu como inadequada a roupa que ela escolheu para vestir? Todo mundo se acha nesse direito vai, sejamos sinceros. 
O erro na escolha do traje para a ocasião seria nada mais, nada menos do que uma falta de noção e tal mal atinge tanto homens quanto mulheres, agora acreditar que essa pessoa mereça ser atacada pela roupa curta que veste é absurdo.

Infelizmente o fato é que o popular "Ela tá pedindo", é ouvido nos quatro cantos do Brasil, comum acharem merecido o ato violento a quem "pede", contudo, o discurso muda totalmente quando a violência é com alguém próximo como a esposa, a irmã....hipocrisia? Pense a Respeito!


domingo, fevereiro 02, 2014

Fanny Neguesha






Ouvindo: YYZ - Rush (Moving Pictures)

quarta-feira, janeiro 29, 2014

Thievery Corporation - Culture Of Fear




Tô conhecendo agora o som dos caras. Em alguma faixas lembra-me o The Quantic Soul Orchestra. Toma!

 Thievery Corporation - Culture Of Fear (2011)

1. Web of Deception
2. Culture of Fear (featuring Mr. Lif)
3. Take My Soul" (featuring Lou Lou)
4. Light Flares
5. Stargazer" (featuring Sleepy Wonder)
6. Where It All Starts" (featuring Lou Lou)
7. Tower Seven
8. Is It Over?" (featuring Shana Halligan)
9.  False Flag Dub" (featuring Ras Puma)
10. Safar (The Journey)" (featuring Lou Lou)
11. Fragments
12. Overstand" (featuring Ras Puma) 
13. Free (featuring Kota) 

Para baixar clique: PenseaRespeito

Thievery Corporation - Live at KCRW (2011)

sexta-feira, janeiro 17, 2014

Parabéns Daniel!




Passou Natal, passou Ano Novo, passou até o Aniversário do Blog  e não postei nada! O cara do PenseaRespeito desistiu? Sumiu?!
É gente a vida anda corrida.. Não abandonei o blog, sinto falta desse espaço, mas confesso que "O dia tá curto"...

Quer saber? Vou contar. Sou pai!

Sim, verdade, o Alexandre é pai!  Pai de sentir frio na barriga, pai de ficar olhando o filho, viajando, indo e vindo no pensamento sem muito saber onde. É muito louco!

A novidade de ser pai já não é tão nova. Minha paternidade faz hoje um ano e a cada dia que passa mais e mais eu vejo que tanto pai quanto filho, aprendem um com o outro. A troca é constante, o amadurecimento inevitável. Apaixonei!

Na faculdade tinha um professor que a cerca de qualquer coisa volta e meia nos fazia a seguinte pergunta:

Qual é o sentimento?

Se ele hoje me fizesse a famigerada pergunta.

Alexandre, agora que é pai me diga: Qual é o sentimento?

Eu diria que hoje sinto uma coisa, coisa essa diferente que ainda é dificil elaborar, traduzir em palavras, dificil explicar, mas que com toda certeza é positivo, é bom, é gostoso de sentir. Amor?! Sim, mas que palavra pequena pra definir tanta coisa.

Cheguei a um dos maiores e melhores pontos pra se pensar a respeito. Um filho! A responsabilidade é quilométrica, mas assumo com o maior prazer.

Daniel neste dia 17 de Janeiro completa seu primeiro ano de vida. Serão muitos!

Parabéns filho! Papai te ama.

John Legend - Love In The Future



John Legend - Love In The Future (2013)

1. Love In The Future (Intro)
2. The Beginning
3. Open Your Eyes
4. Made To Love
5. Who Do We Think We Are (Feat. Rick Ross)
6. All Of Me
7. Hold On Longer
8. Save The Night
9. Tomorrow
10. What If I Told You- (Interlude)
11. Dreams
12. Wanna Be Loved
13. Angel (Feat. Stacy Barthe) (Interlude)
14. You & I (Nobody In The World)
15. Asylum
16. Caught Up
17. So Gone
18. We Loved It (feat. Seal)
19. Aim High
20. For The First Time

Para baixar clique: PenseaRespeito

John Legend - All of Me

sábado, novembro 23, 2013

Robert Glasper Experiment: Futuro




No dia 29 de Outubro a banda Robert Glasper Experiment lançou a a pérola Black Radio 2. Acompanhando a excelência do primeiro disco, Black Radio 2 conta com participações de inúmeros artistas conhecidos, o que só qualifica ainda mais o disco. É sensacional!

Aqui no blog postei o disco, porém, a publicação ficou disponivel por apenas dois dias. Tanto link para download, quanto a própria publicação com o texto foram retirados. Censura?!

Bom, não há revolta em minhas palavras, só uma reflexão sobre divulgação, compartilhamento, propagação de cultura e informação. O que será disso tudo?!
Sinceramente não conheceria Robert Glasper Experiment e tantas outras bandas e músicos não fossem os downloads gratuitos da internet, contudo,  em contrapartida o artista que produz o conteúdo, que com seu talento e suor trabalha para fazer um álbum, o que pensa desse repasse mundial que se faz gratuitamente de sua obra? Apropriação indevida?!

No primeiro semestre desse ano assisti Robert Glasper Experiment ao vivo no Sesc Belenzinho em São Paulo e duvido muito que 10% dos presentes no show tenham comprado algum disco da banda e ou do pianista em trabalho solo.

É óbvio que há quem goste de ter seu trabalho totalmente exposto na internet e o total oposto, quem abomine. Há aquele que vislumbre um futuro de reconhecimento mundial e de shows lotados e outro que simplesmente acredita não trabalhar para dar nada de graça.São visões opostas, mas dignas de respeito.
Quem teria o raciocínio mais inteligente sobre a problemática? Dificil dizer, há se pensar em que tipo de artista se pretende ser.

O futuro aponta para a divulgação e comércio de conteúdo via internet, mas ficaria o compartilhamento gratuito diminuído, proibido, cessado? Pense a Respeito!



O futuro é o próximo segundo!

A Hennessy home session with Robert Glasper Experiment

Eva Pigford








Ouvindo: What Are We Doing (feat. Brandy) - Robert Glasper Experiment (Black Radio 2)

domingo, setembro 08, 2013

Médicos Estrangeiros no Brasil



Digamos que você more em uma distante cidade do interior deste imenso país, e sua mãe esteja passando muito, mas muito mal. Nesta cidade não há um hospital estruturado, bom posto de saúde, médico e para que sua querida mãe seja devidamente atendida, vocês tenham que viajar 100, 200 Km à uma cidade vizinha que ofereça um serviço de saúde digno. Fala a verdade, cá entre nós reze para que não seja nada realmente grave, do contrário sua mãe morre sem nem saber de quê!

Sinceramente você aí que se colocou nesta situação, tá querendo saber se na sua cidade de origem há um médico brasileiro, cubano ou marciano?! Duvido muito! Você quer mesmo é ser prontamente atendido.

O governo brasileiro está contratando médicos estrangeiros para trabalharem justamente nestas cidades distantes. Em lugares que nossos médicos não querem atender seja pela distância, fraca infra-estrutura, risco e ou baixos salários.

Senhoras e senhores novamente a "terra sem preconceitos", mostrou sua face. Eu que pensei que dificilmente alguma coisa superaria aos ataques que a jornalista cubana Yoani Sanches sofreu por ousar expressar sua opinião, assisti envergonhado a forma com que foram recebidos os médicos estrangeiros. O ressabiado médico nacionalista irá atender na cidade distante ou teme um possível bom atendimento estrangeiro? A xenofobia chegou aqui e parou! Lamentável!

Amigos! A contratação e envio de médicos estrangeiros ao interior do Brasil resolve o problema da saúde em nosso país?! Evidente que não. Ideal seria haverem médicos nessas localidades, formados em boas universidades públicas nestas cidades e que não quisessem sair para grandes centros a fim de melhores salários e qualidade de vida. Sonho! Infelizmente sabemos que isso hoje é utopia.

Contratar médicos (seja lá de onde forem) seria hoje uma das muitas ações que ao meu ver deveriam ser implementadas para tentar-se minimizar o grande problema que é o acesso à saúde no Brasil. De que adiantam médicos sem enfermeiros, auxiliares, equipamentos e infra-estrutura. Médico é super-herói?! Nem o maior dos abnegados resolve tudo sozinho.
A inexistência do médico em locais distantes é explicada por um conjunto de coisas. Os motivos passam por mal ou nenhum investimento, educação de má qualidade, má distribuição de renda...oportunidade e possibilidade para poucos, frustrando o desejo de muitos.

O pobre e humilde cidadão não tem acesso à um digno serviço de saúde desde que Brasil é Brasil. Não vejo este ou aquele governo como culpados pela situação de todo este estado de coisas e sim de uma mentalidade antiga, muito forte que deu e dá privilégios a uma pequena, endinheirada e opressora parcela de pessoas.

Entra e sai político do poder e o discurso do povo é sempre o mesmo. Fulano não fez, sicrano não faz. É sempre ele?! Onde estamos?!

Dilma, Lula, Fernando Henrique, Itamar, Collor, Sarney...eles enganam ou nós nos enganamos?! Culpa?! Responsabilidade?! Deles  ou nossa?! Pense a respeito!