domingo, março 31, 2013

Marco Feliciano

para ampliar clique na imagem


A indicação e agora real efetivação do deputado-pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e de Minorias geram controvérsia.

O pastor através de entrevistas e publicações no minimo infelizes em redes sociais, só piora a opinião geral que se tem sobre sua pessoa. O deputado mostra-se racista em suas declarações, depois se diz mal interpretado. Ninguém o entende!

O descontentamento com Marco Feliciano é muito grande, manifestações contrárias a sua permanência frente a Comissão pipocam dos mais diversos extratos da sociedade. Até gente que não se importa muito com nada fala mal de Feliciano.
A realidade é que as minorias não o reconhecem como seu representante e a maioria não entende porque ele está lá!

A repercussão negativa é fato gerador das perguntas:

Porque foi indicado? Por que assumiu? Por que permanece?

A resposta para as três perguntas passa longe da opinião de que eu ou você tenha de Marco Feliciano, a resposta baseia-se única e exclusivamente aos acordos feitos anteriormente, ou seja, nas novas relações de poder que vem se estabelecendo no congresso nacional e que se fundamentam, nessa questão, no surgimento de um forte bloco evangélico.

Gente! As minorias estão descontentes, o povo mostra-se avesso ao deputado-pastor como presidente de uma comissão para minorias, mas...e daí?! Tá óbvio que a população não tá apitando nada, do contrário, sejamos coerentes, o figura não teria nem entrado.

Ele foi indicado segundo um acordo, assumiu obedecendo esse acordo e permanece garantindo-se neste mesmo acordo. Sairá?! Sim, claro, mas desde que firmado novo e vantajoso acordo (de nosso conhecimento ou não) e dizendo aos quatro cantos ser vitima de preconceito religioso.




3 comentários:

Anônimo disse...

Right now it seems like Expression Engine is the top blogging platform available right now.
(from what I've read) Is that what you're using on your blog?



My web-site http://www.moremead.com/the-right-way-to-design-your-own-clothes-online/

Yoga Uma Alan disse...

O pior é que o filho da mãe conseguiu passar adiante a ideia da "cura gay", não que o projeto se proponha a isto, mas não se pode identificar sexualidade com doença. E é, em última instância, isso que o projeto deste ser faz.

dom disse...

viu quem quer essa cadeira, agora?!?!

Bolsonaro...

a gente não aprende...